eu adotei um pingüim chamado oswald cobblepot que toda vez que tu o joga na água, ele sobre de volta, e um porco chamado torresmo que adora rolar na lama e fazer aqueles barulinhos engraçados que porcos de estimação fazem. passa lá, eles precisam de atenção.
domingo - 30 de outubro, 15h49min



we're all sensitive people
with so much to give - understand each other
as long as we got to be here
let's live
let's get it on...


domingo - 30 de outubro, 13h10min


link novo aí do lado.
sábado - 29 de outubro, 20h30min


nessa semana eu trabalhei por duas porque semana que vem é feriado segunda, terça e quarta. essa é uma daquelas "alegrias do funcionalismo público" que a dani moreirão sempre fala.

nessa semana, também, eu comecei a me apaixonar por alguém que, exatamente ao mesmo tempo, começou a se apaixonar por mim. isso me faz lembrar da crisinha, que sempre fala que amor nunca dá pra conciliar, porque é sempre fulano que gosta de beltrano, que gosta de cicrano e assim por diante.

e chega. tô indo vê-lo, agora. tenho trabalhado demais e ele tem sido o meu descanso, a minha segurança e a minha alegria diária.
sexta - 28 de outubro, 18h40min


and it feels like I'm seventeen again
feels like I'm seventeen
looking from the outside in
some things never change

sweet dreams are made of this
who am I to disagree
I travel the world and the seven seas
everybody's looking for something yeah

terça - 25 de outubro, 10h33min


ok. tem algumas coisas que exigem entendimento além do que o meu QI pode dar. por exemplo: cartões do Terra.

vivo recebendo cartões virtuais do Terra por e-mail, cujo remetente é "amor eterno" e o destinatário, no caso, eu, é "meu grande amor". no corpo da mensagem, o link "clique aqui para ver este cartão por inteiro". e eu sempre balanço, né, porque vai que seja de algum admirador secreto. porém, vai que seja vírus, né.

em caso de dúvida, não abro e mando tudo pro lixo. não sei se estou evitando que meu pc pegue vírus ou se estou me boicotando pra não saber quem é o meu admirador. difícil. bem difícil.
sexta - 21 de outubro, 10h55min


tem que fazer, tem que fazer.
quarta - 19 de outubro, 20h59min


"é fácil viver com os olhos fechados/não entendo tudo o que tu vê/tá ficando difícil de se tornar alguém/mas tudo dá certo no final/nem me importa tanto assim"

"eu tô olhando através de ti, onde é que tu foi?/eu pensei que eu te conhecesse, mas o que que eu sei?/tua aparência não tá diferente, mas você mudou/eu tô olhando através de ti/você não é mais o mesmo

bítons, né. bítons.
quarta - 19 de outubro, 20h25min


eu vivo roubando coisas da dani, mesmo, então aí vai mais um.

01- Que horas são?
11h48
02- Nome?
vitor
03-Quantidade de velas no seu último bolo de aniversário?
uh, que fome...
04- Furos nas orelhas?
none
05- Tatuagens?
none
06- Piercings?
um e não é Príncipe Albert
07- Já foi a outros país?
olha a concordância, animal.
08-melhor viagem que já fez?
isso não é uma pergunta, animal.
09- Já ficou bêbado?
sim.
10- Já chorou por amor?
passo.
11- Já sofreu um acidente?
repasso.
12- Peixe ou carne?
pago: both.
13- Restaurante preferido?
o M amarelo da felicidade.
14- Praia ou campo?
depende com quem.
15-Cerveja ou vinho?
polar
16-Café ou chá?
pra trabalhar, café. pra gastrite, chá.
17- O copo metade cheio ou metade vazio?
depende do dia.
16- Lençóis de cama lisos ou estampados?
liso, pelamordedeus
19- Cor das meias?
não as calcei, ainda.
20- Programa de televisão?
Mythbusters
21- Onde vc gosta de receber beijos?
que pergunta....
22- Está ouvindo alguma musica agora?
nope.
23- Flor (es)?
de plástico/não morrem.
24- Coca-Cola ou Guaraná?
tem cocaína geladeira/tem cocaína geladeira.
25- Tom ou Jerry?
none.
26- Disney ou Warner Bros?
none.
27- Quando foi a tua última visita ao hospital?
unidade móvel de hemocentro conta? então foi ontem, pra doar sangue.
28- Qual presente mais valioso que já ganhou?
não sei.
29- reprovado no teste de habilitação?
mas ganhei elogios na baliza.
30- De quem recebeu isso?
roubei da dani
31- Hora de dormir?
o que que é dormir?
32- Quem vai responder isso mais rápido?
não entendi...
33-Qual é o seu desejo mais loko (algo meio impossível)?
virar o derek russo da noite pro dia.
34- CD preferido?
a lista é grande.
35- Piores sentimentos do mundo?
sentir-se inútil é uma merda. e sentir-se burro também.
36- Melhores sentimentos do mundo?
passo.
37- O primeiro pensamento que você tem ao acordar?
"merda, acordei antes do despertador de novo!"
38- Se pudesse ser outra pessoa quem seria?
derek russo.
39-Qual é o carro dos teus sonhos?
não sonho com carros, sonho com passagens unificadas - que se tornarão realidade em 2006, em Porto Alegre.
40- O que você diria pra pessoa que te mando issu?
eu roubei, já disse.
41- Nome da pessoa que talvez não te responderia?
não entendi...
42- Quem gostaria que te respondesse?
ã?
43- Está apaixonado?
obrigado por me lembrar que a minha vida tá um tédio.
44- Data do seu nascimento?
passo.
45- Qual é seu filme favorito?
ih, lista longa.
46- Trabalha?
aff. sim.
47- Que horas são?
12h07min
quarta - 19 de outubro, 12h07min


"Democracia a bala" tá na capa do Pessoas do Século Passado, o que é sempre uma coisa "tridilindiminho", como diria Sandra - minha professora de matemática da 5ª série.

já "Cortiço virtual" tá na editoria de comunicação e tecnologia, enquanto que "O destruidor" tá no link "mau humor aqui tem vez".
terça - 18 de outubro, 12h14min


Farrah Fawcett - digo, Madonna na MTV americana, ontem.

a Madonna, aos 48, é uma prova de que, como disse a crisinha, idade não tem nada a ver com juventude. se a era dela não acabou e se ela não tá ultrapassada, então eu também não tô, né? se pra ela, time goes by so slowly, como ela canta em Hung Up, então pra mim também deve ser. ou seja, tenho todo o tempo do mundo pra envelhecer. deixa pra amanhã, hoje não.
terça - 18 de outubro, 11h28min


"(...) se as pessoas medissem a juventude pela idade, eu não veria a minha irmã de 33 anos chegando esbaforida aqui em casa de tanto que pulou no show da Ivete Sangalo. ou então o meu pai de quase 60 discutindo ardorosamente com o meu primo, de 20, as melhores técnicas de RPG".

crisinha, mandando ver na minha caixa de entrada.
terça - 18 de outubro, 11h19min


"Mas realmente acho que o dono da bagaça nasceu no ano errado, era pra ter nascido alguns anos antes, daí sim, ia estar bem localizado".

cacá, mandando ver nos meus comentários.
terça - 18 de outubro, 11h17min


Madonna, chegando na festa de lançamento do seu novo single, Hung Up. A música foi lançada hoje nas rádios, tipo, do mundo inteiro e o álbum novo, Confessions On a Dance Floor, chega dia 15 de novembro às lojas. seu documentário, I´m Going to Tell You a Secret, que mostra os bastidores da sua última turnê, estréia em dezembro nos cinemas

parei, né. parei.
segunda - 17 de outubro, 22h43min


"Papel digital deve chegar em 2007"

bem bacana. leia mais aqui.
segunda - 17 de outubro, 22h31min


Tempo roubado

eu acho que eu estou me tornando ultrapassado. quando eu olho para essa gurizada nascida em 1983, 1984 e até 1985, que produz, que tem uma carreira, que é capa de jornal toda semana - como é o caso do Rafael Sobis, atacante do Internacional -, eu percebo que eu pertenço à geração passada. acho que a minha era acabou, triste conclusão.

alguém sabe me dizer quando a juventude termina? acho que eu cheguei na hora de ter alguma coisa de fato - uma carreira, uma profissão, um reconhecimento, uma vida de valores que eu não tive até agora. diante dessa gurizada toda, eu me sinto velho. enquanto eles ouvem o último sucesso do CPM 22 e do Black Eyed Peas, eu ouço o single de 1982 do Human League, ou o de 1969, dos Beatles. será que eu comecei a estacionar no tempo?

às vezes eu me pego pensando que "o Ocidente era legal mesmo há uns dois, três anos atrás, quando a Balonê ainda não era esse evento de high society". ou seja, eu acho que eu já posso começar algumas frases com o tão temido prefixo "na minha época". sou eu quem está envelhecendo ou é o mundo que está se tornando mais jovem? e completo essa indagação com outra, tão ou mais existencialista: só eu envelheço?

acho que daqui a pouco eu começo a concluir que eu não tenho mais saúde, tempo e disposição para algumas coisas que eu costumava fazer. porque, afinal, certas coisas são exclusivas à juventude, a quem nasceu de 1985 em diante. celebrar a juventude cabe só a quem é jovem. quem celebra a juventude não mais sendo jovem, esperando tornar-se jovem de novo à força, torna-se apenas uma criatura triste com lembranças de um tempo que já passou. amanhã, eu serei passado - isso eu sempre soube. mas acho que o amanhã já tá chegando. e o que se faz com cada hora que passa e com cada dia que eu me aproximo mais dos 25, 28, 30 anos?

se alguém souber, por favor, me fale. não quero me tornar uma daquelas pessoas deslocadas de seu tempo com lembranças que remetem a uma época passada. tenho medo de ter lembranças, porque elas são um sinal de que estamos envelhecendo. ou de que a juventude já é um verbo conjugado no passado. eu gosto tanto dos gerúndios, mas eles estão sendo roubados de mim por essa nova geração de jovens bem-sucedidos. façam bem tudo que têm que fazer, gurizada. a hora de vocês vai chegar, também.
segunda - 17 de outubro, 17h35min


um adendo ao post abaixo: o rafael sobis nasceu em 1985.

*em choque*
segunda - 17 de outubro, 15h45min


O rejuvenescimento do mundo

uma coisa tem me deixado meio idiota, ultimamente. eu comecei a reparar nas idades das pessoas que aparecem nas revistas, nos colunas do mundo pop dos jornais, nos ensaios fotográficos em portais de internet e todas elas estão se tornando mais novas que eu. quer dizer, um dia, todas essas pessoas foram mais velhas que eu. um dia, elas foram pessoas com mais vivência. se tornaram ricas, famosas, gostosas e bem-sucedidas porque, claro estavam com seus 22, 23 anos e tiveram tempo pra conquistar tudo isso. e agora que eu cheguei aos 23 e não passo de um estagiário de Jornalismo, longe de ser milhonário e ter um filho, como a Britney Spears - que, a propósito, tem a mesma idade que eu - o que me espera, logo à frente? será que eu deixei alguma coisa escapar? será que eu me demorei mais do que deveria? se as pessoas que eu desejo e por quem eu nutro uma certa luxúria começam a se tornar mais novas do que eu, isso quer dizer que eu estou envelhecendo ou o mundo está se tornando mais adolescente?

a maioria dos caras que posam para aquele The Boy, do Terra, tem a minha idade ou são mais novos que eu. e eles são modelos que levam seus corpos perfeitos e bem trabalhados até o Japão, num dia; no outro, Nova York, e por aí vai. a última vez que eu fui pro exterior foi na Páscoa de 2004 e foi pra Montevideo. fiquei quatro dias lá. e mais de um ano depois disso, eu me encontro exatamente no mesmo lugar - um estagiário de Jornalismo que não viaja quando quer, mas quando consegue conciliar grana, tempo, trabalho e faculdade. por que que algumas pessoas, aos 23 anos, têm uma vida tão diferente da minha? isso é normal?

eu acho que deveria existir um manual ensinando como se viver os vinte-poucos anos. um capítulo desse manual trataria das expectativas e planos a curto prazo. ao longo do capítulo, veríamos que um jovem de vinte-poucos anos tem que cursar uma faculdade, ralar de estagiário e ir em festas e encher a cara - nada de viajar pro Japão, ou de ter filhos, ou de casar, ou de passar os fins-de-semana no Rio de Janeiro porque, pombas, estagiário não tem dinheiro pra isso. e nada de ser rico, também.

gente da minha idade não pode ser tudo isso. não tem como. são coisas difíceis de se conqusitar, que só vêm com muito, muito trabalho e depois de muito, muito ralar como estagiário. na real, tô achando que eu matei algumas aulas do curso que ensinava a crescer. tô atrasado na matéria, vou ter que correr atrás. porque daqui a pouco, se eu descuidar, eu tô com quase 30 e continuo freqüentando o mesmo curso que ensina a crescer. que medo de ser repetente.
domingo - 16 de outubro, 21h36min


finaleira de domingo, a gente começa a ler os arquivos do blogue e percebe que sim, às vezes a gente acha que sabe, mas na real, não tem nem idéia:

hoje fui na palestra de um escritor argentino, chamado José Gabriel Ceballos. o tema era Teoria e Técnica do Conto, e teve uma pequena participação de Charles Kiefer. não perdi a oportunidade e pedi ao Kiefer informações sobre a oficina que ele ministra (a qual me disseram ser um horror de caro). ele ficou de me respodner (sic) por e-mail.

a palestra, cuja platéia era muito heterogênea, sendo formada por universitários, senhores, escritores publicados e wannabes, me fez perceber que muitas questões técnicas referentes à criação de literatura de ficção, contos, especificamente, eu já sabia, empiricamente. então, foi como uma confirmação de que estou no caminho certo, em alguns pontos.

mas é isso. se o Assis Brasil não me quis na oficina dele, eu faço a minha oficina.
sábado, 2 de agosto de 2003, 16h02min

domingo - 16 de outubro, 20h59min


The long and winding road ainda me deixa com os olhos marejados. bom saber.
domingo - 16 de outubro, 15h53min


Marilyn Manson vai lançar seu próprio perfume, é o que diz esse site aqui.

é em francês. dê graças ao tradutor do google.
sábado - 15 de outubro, 23h54min


A menor distância entre dois pontos no tempo são as coisas guardadas no armário

passei a última hora e meia organizando o meu arquivo de materiais gráficos - aqueles mencionados a oito posts abaixo - e achei umas pérolas da época em que eu era "gótico" e passava o dia escrevendo poesias e lamentos, cujos títulos eram Epitáfio, O falso sentimento de amar, O conto da solidão e outras dramaticidades do gênero. foi uma época bacana. dos 15 aos 21, eu andava de preto pra cima e pra baixo. foi nessa mesma época em que eu comecei a colecionar radiografias - coleção que, aliás, ainda não interrompi, mas é que radiografias não são uma coisa muito fácil de se conseguir. foi também nessa época que eu comecei a freqüentar o carcasse.com, onde acabei conhecendo duas grandes amizades que cultivo até hoje, pelas vias internéticas, em SP. no meio da bagunça do quarto, achei até um fanzine da vana e do tuko, onde foram publicadas algumas das bobagens que eu escrevia na época. ser "gótico" era lance sério, sabe?

eu achava um barato, aquilo tudo. "por que tu tá sempre de preto?", era a pergunta que eu mais ouvia. na época, eu era mais irônico e ácido que hoje, o que me fazia responder coisas como "é porque preto emagrece". era tudo muito divertido. foi nessa época também que eu comecei a descobrir o Ocidente e a ficar com meninos. pois é, góticos também têm vida sexual. por baixo daquele preto todo, eu era bem saidinho, até.

eu tenho a impressão que eu era mais culto, na época. não digo mais inteligente, mas com maiores preocupações quanto à bagagem cultural que eu queria constuir. era uma época em que eu absorvia muita informação: qualquer coisa na televisão, na música, na arte, na rua, me fazia ir em busca do que poderia estar por trás daquilo. eu era mais intenso, acho. eu me apaixonava mais. e sofria mais por amor, também. sofria lendo Álvares de Azevedo e Florbela Espanca e chorava ouvindo Adore, do Smashing Pumpkins. eu, pelo jeito, era mais inocente, na época. porque aquele preto todo, aquela intensidade toda, aquele sentimento de deslocamento em relação à minha idade e ao meio em que eu vivia era, eu creio, reflexo de uma inocência muito grande. eu era tão inocente que ousava ser diferente. afinal, não há nada mais inocente que buscar a singularidade em si mesmo através das roupas e da cultura musical e artística.

e agora, em outubro de 2005, eu fico aqui pensando onde foi parar aquela inocência toda. eu tinha tantas certezas, na época. eu sabia tanto do mundo, eu apontava tanto para os outros e para mim, mostrando o que havia de errado, de ruim, de insalubre. eu queria mostrar que adolescentes que se vestem de preto e carregam um crucifixo no pescoço não são esquisitos, são apenas inocentes e sensíveis. acho que eu era mais sensível, na época. eu acreditava em valores que hoje eu não dou a mínima importância. tudo me era tão valioso que eu sentia não haver tempo suficiente no mundo pra poder aproveitar a vida como ela deveria ser aproveitada. a minha sensibilidade e fragilidade de então - e não uso fragilidade como algo pejorativo - me deixavam divido entre o medo de não ter tempo pra viver e a esperança de que um dia, quem sabe, me entenderiam. eu tinha muita ânsia por tudo, não queria perder nada. acho que eu era mais esperto, naquela época. aproveitava melhor as mínimas oportunidades que, de tão mínimas, eram muito valiosas.

eu não sei porque a gente muda, com o tempo. eu não sei porque eu me tornei uma pessoa menos sensível e mais pragmática, menos espontânea e mais racional. agora, em outuro de 2005, olhando pra trás, acho que era justamente esse o medo que eu tinha - de me tornar apenas mais um. acho que eu suspeitava que era um risco que eu todo mundo corríamos. tornar-se "normal" não estava nos meus planos, porque tornar-se "normal" era resignar-se e aceitar a vida com toda a sua injustiça e desumanidade. na época em que eu era "gótico" e só andava de preto, eu tinha mais esperança e confiança, tanto em mim quanto no mundo. acho que eu perdi a ingenuidade e aceitei o mundo do jeito que ele é. e o estranho é que eu acho que eu não resisti contra isso. não deu tempo, passou muito rápido. rápido demais.

quando me dei conta, já era outubro de 2005 e eu tava tirando o meu passado do meio de pilhas e pilhas de papéis. aquela bagunça toda me fez perceber que só tem duas coisas realmente inexoráveis, na vida: o tempo e a morte. se eu puder empurrar o segundo pra poder curtir o primeiro ao máximo, farei com muito afinco. e passarei a reconhecer que nada na vida é perene, nem mesmo todas as promessas "pro resto da minha vida" que a gente faz o tempo inteiro. porque quando eu me der conta, já terão se passado anos e anos e eu estarei novamente revirando a papelada do quarto, concluindo que em outubro de 2005 eu era muito diferente. triste vai ser se eu concluir, daqui a alguns anos, que "em outubro de 2005 eu era mais sensível e mais ingênuo do que agora". porque não tem como alguém se embrutecer e se resignar mais do que isso, tem? espero que não.
sábado - 25 de outubro, 21h45min


Quem adivinhar, ganha um beijo!

ah, esse tá fácil. de novo: eu ou o Phil Oakey - vocalista do Human League?

tempo!
sábado - 15 de outubro, 17h28min


Quem adivinhar, ganha um doce!

esse, na foto, sou eu ou o Phil Oakey - vocalista do Human League?

tempo!
sábado - 15 de outubro, 17h20min


"Falar de arte faz bem para a pressão e a digestão"

eu já disse, dani moreira é a mina mais saudável da américa do sul. leia matéria aqui.
sexta - 24 de outubro, 18h44min


acho que eu acabei de levar uma cantada de uma mina, chegando aqui no serviço.

"que gatinho lindo! ninguém merece!", bem assim, alto pra caralho. mas algo me diz que foi pro ancião que passava ao meu lado. vai saber.
sexta - 14 de outubro, 12h55min


se "bife a cavalo" não tem crase, "democracia a bala" também não tem.

corrigido.
quinta - 13 de outubro, 23h4min


"Fumo torna pensamento lento e diminui QI, diz estudo"

não entendi. lê e me explica.
quinta - 13 de outubro, 13h33min


artigo - opinativo, saliento - novo.

Democracia a bala

faltam dez dias pro referendo do desarmamento, mas desde o início das discussões eu já sabia que meu voto seria a favor da proibição do comércio de armas. e, na verdade, pelo que eu li a respeito da Lei do Desarmamento, a medida não visa a somente proibir a venda assim, bem ditatorial. são várias decisões que pretendem coibir e diminuir o comércio legal de armas para a população civil. porém, mesmo sabendo disso, eu continuo acreditando que, se aprovada, a Lei do Desarmamento não vai trazer grandes mudanças para as estatíticas de criminalidade e mortes por armas de fogo, no Brasil.

o mercado negro sempre existiu e não vai ser um referendo - recurso justo e democrático de uma sociedade organizada - que vai acabar com ele. a compra de armas pelas vias ilegais continuará existindo, com ou sem referendo. e, na verdade, é a ilegalidade a maior fornecedora das armas que circulam por aí. e eu não falo das armas que os criminosos carregam, mas das armas que o "cidadão de bem" guarda em casa. e aproveito aqui pra questionar o conceito de "cidadão de bem", que remete às idéias ultrapassadas de tradição, família e propriedade. ora, por que diabos um "cidadão de bem" teria uma arma em casa? "pra proteção", tu e qualquer um me responderia. mas o problema é justamente esse - armas não são feitas pra proteger, mas pra matar. mas, se tu pensares bem, até uma caneta pode ser usada pra matar. uns certos terroristas árabes seqüestraram um avião usando míseras faquinhas de plástico e conseguiram jogá-lo contra um conhecido prédio, em setembro de 2001. pra quem pretende cometer algum crime, não existe referendo nem democracia. eu queria saber o que votariam, no referendo do dia 23, os criminosos brasileiros.

armas não matam pessoas - pessoas matam pessoas. pouco importa se o comércio legal vai ser proibido ou não. quem quiser valer-se das armas como recurso de ataque, vai continuar fazendo. o que precisa ser questionado, nesses dias de debate que antecedem o referendo, é a partir de que momento uma arma pode passar de defesa para ataque. afinal, armas são sedutoras. propõem uma solução rápida para qualquer problema. o porém é que democracia não se faz com soluções rápidas. democracia é demorada, trabalhosa, precisa de todo mundo pegando junto. armas vão contra o espírito democrático que o Brasil tenta manter a todo custo, em tempos de Mensalão e Mensalinho. armas são o último recurso de uma sociedade democrática e o fácil acesso a elas, pelas vias legais ou não, só vem a contribuir com tristes estatíscas e números.

armas são afirmações imperiosas, o oposto do que pretende a democracia. voto a favor do desarmamento porque acredito que é apenas mais uma pequena medida pra exercitar a democracia no Brasil. sou completamente a favor dos direitos individuais, só os questiono quando se trata de disponibilizar à população artefatos que podem matar.

os mais rápidos podem até alegar que nos Estados Unidos qualquer um pode ter quantas armas quiser, e que balas de revólver são compradas em qualquer supermercado de esquina. é verdade, mas não dá pra esquecer que eles fazem isso embasados na Segunda Emenda à sua Constituição, que fala do direito de qualquer cidadão daquele país de ter e portar armas à vontade. porém, a Segunda Emenda foi concebida com o intuito de probir a instalação de qualquer regime autoritário, podendo, assim, a população defender pessoalmente seus diretos democráticos. só vale lembrar que isso aconteceu em 1791, quando o tecido social norte-americano não era o mesmo de hoje.

voto a favor do desarmamento por ainda acreditar na democracia e nos Três Poderes. e também por acreditar que se ignorarmos os recursos judiciais e legais que a nossa sociedade demorou pra construir, nenhum esforço nunca vai valer a pena. então pra que tentar constuir uma sociedade organizada se vamos ignorar suas bases o tempo inteiro? é como eu disse, democracia se faz com todo mundo pegando junto, e nesse referendo, eu pego junto com o Chico Buarque e a Fernanda Montenegro. E podem mandar bala.
quinta - 13 de outubro, 11h35min


Holiday/celebrate

se algum dia algum de vocês precisar fazer uma consulta em um arquivo com toneladas e toneladas de materiais gráficos, publicações, materiais de divulgação, revistas, revistas, revistas e mais revistas, por favor, venham a minha casa. meu quarto é, antes de ser meu quarto, meu arquivo de todos esses tipos de materiais que eu disse aí. eu guardo tudo: do jornalzinho da associação de funcionários do Banrisul àqueles jornais bagaceiros de Capão da Canoa e arredores, passando por materiais de divulgação da Academia de Cinema de Nova York e do escritório de turismo de Liverpool. sério, é tanta coisa que eu tô começando a pensar na hipótese de alugar uma sala só pra poder guardar tudo isso de forma decente. a sorte é que é ainda não pintou traça na jogada, o que seria bem ruim, porque elas teriam muita comida ali pra encher o pandulho e ficarem bom gordas, até perceberem que carne humana rende mais que papel.

o meu arquivo de materiais gráficos ainda vai me matar. tô sentindo isso.

***

hoje eu assisti A Noviça Rebelde pela ducentésima vez e, de novo, adorei. que filmaço. tem todos os elementos de uma boa trama: família, amor, religião, política e opressão. tudo intercalado por uns números musicais bacanas e, meu, Julie Andrews e Christopher Plummer formam o casal mais ducacete da história do cinema do século XX. na verdade, eles ficam em segundo lugar - perdem só pra John Travolta e Olivia Newton-John. páreo duro, reconheço, mas o Capitão Von Trapp é tão sexy quanto Danny Zuko. não dá pra negar.

além disso, eu ouço minha mãe cantar Edelweiss desde a primeira infância. ou seja, A Noviça Rebelde tá presente na minha vida faz tempo, o que é um barato. eu aprendi a cantar dó - um dia, um lindo dia/ré - reluz o ouro em pó quando tinha uns seis, sete anos e até hoje sei a letra. é uma daquelas coisas que passa de geração em geração e não se perdem nunca. é mais ou menos o que eu pretendo fazer com a papelada guardada no meu quarto - passar pra posteridade. afinal, um homem é o legado que ele deixa, não é?
quarta - 12 de outubro, 23h12min


Carta de um solteiro indignado

quer saber? cansei.

uma vez, eu disse pra melina diehl que eu tinha medo que os meus critérios para homens ficassem tão lá embaixo e pouco exigentes, tamanha as decepções consecutivas que a vida dá, que eu vou acabar com um que "basta não me bater. não precisa nem gostar de mim, basta não me bater". porque, convenhamos, né: um me chama de Ivan. outro, diz que só me reconhece de costas. o terceiro, parece que prefere ficar choramingando a própria solidão pelos cantos a aceitar que a alfândega do papai aqui tá liberada. que isso, hein? homem legal tá em extinção? o que aconteceu com a época que os caras pareciam mais.... normais? em que eles demonstravam respeito? em que eles demonstravam o mínimo interesse? sério, nessas condições, nem caçar tem graça. esperança acaba, né. e a minha tá se esgotando.

cansei.
segunda - 10 de outubro, 11h43min


saio de casa e o número de mortos no terremoto do Paquistão era de 1,8 mil. volto, e já bate na casa do 20 mil.

os desastres naturais estão mais assassinos ou são as técnicas de contagem de corpos que melhoram a cada dia?
domingo - 9 de outubro, 19h45min


"doutor, nós somos classe média-alta. ignorar nossos problemas é o que nós fazemos de melhor"

são falas como essa que me fazem ficar em casa, numa sexta à noite, assistindo Desperate Housewives.
sábado - 8 de outubro, 16h35min


acabei de abrir a geladeira do serviço pra ver se fizeram vaquinha e compraram uma torta, pra mim.

não tinha nada.
sexta - 7 de outubro, 15h32min


"As meninas afirmam que estavam numa mesa, na cantina, com vários colegas. Melissa estava sentada no colo de Bárbara e as duas se beijaram. Segundo elas, a policial, ao ver a cena, aproximou-se e disse não saber que a homossexualidade era permitida por lei".

matéria da capa da Folha Cotidiano de hoje. além dessa, outras duas matérias de repreensão pública a trocas afetivas entre homossexuais. quem puder ler, leia. é de ficar arrepiado.
sexta - 7 de outubro, 13h32min


nesse videozinho bacana aqui, os donos do mundo confundem Austrália com Irã ou Coréia do Norte. *calafrios*
sexta - 7 de outubro, 13h18min


não importa o que tu estejas fazendo agora. pára e vai ouvir a nova do Franz Ferdinand. ouve e me diz se não lembra Bowie no período 76-79.

se chama "Do You Want To" e tá no repeat há horas, aqui no pc.
quinta - 6 de outubro, 19h04min


acho que eu tô com angústia por excesso de informação. passei horas lendo matérias, artigos, ensaios e consultando "O Príncipe" de Maquiavel, tudo pra embasar um artigo sobre a laicidade duvidosa do Estado brasileiro - e nada. empaquei na formulação das idéias, nem na escrita, porque comecei a me chocar com Filosofia, Ciências Sociais, Legislação e Comunicação. até mandei e-mail pra professora Raquel, pedindo uma orientação, mas nada, até agora. assunto demais pra uma tarde de ócio criativo. às vezes, eu queria ser um Pentium IV. absorver essa penca de informação ia ser tão mais fácil.

pra não jogar a tarde fora, fiz esse cabeçalho comemorativo aos meus 23 anos. é amanhã. quero atenção. fui claro?
quinta - 6 de outubro, 18h44min



praticamente
eu no corel.

instigar
enfim, sei lá
caco belmonte
repolhópolis
passeio noturno
la vie jetable
barbara,
heliodora & cordelie

groundhog day
pipoca com sal

contato

arquivo 23
arquivo 22
arquivo 21
arquivo 20
arquivo 19
arquivo 18
arquivo 17
arquivo 16
arquivo 15
arquivo 14
arquivo 13
arquivo 12
arquivo 11
arquivo 10
arquivo 09
arquivo 08
arquivo 07
arquivo 06
arquivo 05
arquivo 04
arquivo 03
arquivo 02
arquivo 01