Chuva na paulicéia

vai alagar. tô sentindo que vai alagar.
sexta - 30 de dezembro, 17h50min


Resolução de Ano Novo

- diminuir consideravelmente a quantidade de cigarros diários. cansei do pexecor e da ressacã do dia seguinte. cansei.
sexta-feira, 30 de dezembro, 10h50min


Duas fotos

quando o trem vem chegando, dá medo.

daniel-san se preparando pra encarar o centrão paulista.
quinta - 29 de dezembro, 09h16min


Sweet EMOtion in São Paulo

sabe aquela música, "alguma coisa acontece no meu coração/que só quando cruzo a Ipiranga e a Avenida São João"? então. eu sei o que acontece: pressa. a sinaleira demora pra fechar.

cheguei em sampa ontem, às 14h30. dani me pegou no aeroporto, de verde-limão, lendo Lipovetsky. viemos de ônibus até o ap dela, no Centro. à noite, caminhamos pela Consolação, Augusta e Paulista, pra tomar sorvete num tal de Lila. ela me explicou que vai muito emo, por lá. ela não gosta de emos. eu não gosto de indies. me explicou também a relação entre o povo emo daqui e a cultura do vegetarianismo e do politicamente correto. são os ditos straight edges. eu não sabia que isso existia.

hoje pela manhã, caminhamos pela 25 de março, mercado municipal e o "distrito financeiro". entre aspas porque eu o chamo assim, tamanha a quantidade de sedes de bancos. tudo junto à Bolsa de Valores. zona bonita, aquela. Sampa tá surpreendendo. cidade simpática, limpa, amigável. exceto pela Paulista. no meio de todos aqueles arranha-céus e antenas e carros e concreto com vidro, tu te sente muito pequeno. a paulista não é lugar pra gente, mas pra corporações. mas à noite, é muito bonita. larga, limpa, rica. pouco humana, porém.

a diversão tá por conta das diferenças vocabulares. pedi xis-frango, a mocinha me olhou perdida. aqui, xis é hamburguer. e torrada é misto-quente. e eles não entendem quando eu pareço surpreso e digo "capaz?!". não sei qual é a dificuldade.

hoje, passamos rapidinho pela famigerada Galeria do Rock. voltaremos lá. exceto no sábado, se não me engano, que dani disse tem muito emo. eu não tenho problema com emos. só com indies.
terça - 27 de dezembro, 12h51min


SÃO PAULO - Uma bomba de fabricação caseira explodiu dentro de uma lata de lixo na tarde desta quinta-feira na Rua 25 de Março, famoso centro de compras populares em São Paulo. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, duas pessoas – mãe e filha - ficaram feridas gravemente. De acordo com a Polícia Militar, a menina de dois anos está estável e a mãe passa por uma cirurgia de emergência no pronto-socorro Vergueiro. Pelo menos 15 pessoas sofreram ferimentos leves e não correm perigo.

tá começando a me dar medo.
sexta - 23 de dezembro, 20h56min


Fuck you, 2005

quem mora em Porto Alegre, sacou que o título desse post foi chupado sem qualquer alteração da campanha das lojas Gang para o fim do ano. e chupei assim, na cara dura, porque é exatamente isso que eu quero dizer, nesse final de ano: fuck you, 2005.

esse ano, que começou dia 26 de dezembro de 2004, com o Tsunami carregando neguinho mar adentro na Ásia, deu muito trabalho pra todo mundo. é gente se operando, se separando, perdendo emprego ou, como eu já disse, sendo carregado mar adentro por um Tsunami. mas eu não quero falar dos problemas dos outros, mas, sim, dos meus. vou enumerar os fatos pé-no-saco que se sucederam esse ano e vocês vão entender o que eu quero dizer:

1) briguei feio com o walter, no início do ano. foi ridículo, me arrependerei disso pro resto da vida. hoje, já tá tudo bem - graças. com essa briga, eu aprendi que há coisas muito mais relevantes na vida que o meu orgulho ferido. e uma dessas coisas se chama amizade.

2) seu araújo caiu do telhado e se quebrou todo. foi parar na UTI até, de tão feio que foi. com isso, eu aprendi que até o Darth Vader tem suas fraquezas, se sente sozinho e precisa de atenção.

3) tive minha primeira crise literária. durou alguns bons meses e quase me levou à loucura. subitamente, perdi o interesse por escrever, por refletir e por construir textos. e o que me deixou bem babaca é que eu tava passando por isso ao mesmo tempo em que cursava a muito cobiçada oficina literária do Assis. custei a aceitar e a entender que crises artístico-criativas existem, são comuns e eu não tenho controle nenhum sobre isso.

4) tive ataques de pânico, devido à crise literária. com isso, aprendi que sou ansioso e controlador demais. aprendi também que o corpo reage, às vezes de formas bem obscuras, como é o caso, a toda pressão exagerada que tu incute a ti mesmo. se não é a hora de fazer, não é a hora de fazer e ponto final.

5) subitamente, me vi repensando toda a minha vida afetiva e percebi que tenho sido um homem de muitos amantes e poucos amores. percebi também que tenho uma dificuldade King Kong em lidar com sentimentos, aceitar o vínculo amoroso e entender que quando o assunto é laços afetivos, nem tudo pode ser explicado à luz da razão ou das ciências exatas. sentimento é sentimento, razão é razão. um não explica nem justifica o outro. reconhecer que sou mental demais com minhas relações foi bem difícil, mas aprendi bastante, no caminho.

6) e, finalmente, percebi que tenho sido superficial demaaaaaais nas minhas relações amorosas e que isso não é esperto, moderno ou inteligente. o estilo de vida Samantha Jones funciona muito bem no Sex and the City, mas não na minha vida. essa história de dispensar o cara porque ele tá se demorando pra me levar pra cama não é sinal de maturidade emocional, mas de desconsideração com os próprios sentimentos. papinho mela-cueca, eu sei, mas é verdade. até agora, minhas relações têm sido muito calculadas e premeditadas - tudo que eu faço é programado com antecedência, até mesmo quando o cara me dá um pé na bunda - porque, até agora, meu raciocínio tem sido "não quero criar vínculo porque tenho 22 e tenho mais é que aproveitar a vida". mas daí...

7) ...eu fiz 23 e não foi nada legal. eu me dei conta que crescer é uma merda. se eu pudesse congelar 2004, com toda aquela despreocupação e adolescência, eu faria. eu fiz 23 e passei a me preocupar mais com coisas que me passavam despercebido, antes. fiquei mais chato, sem graça e menos irônico. como eu disse, crescer é um saco.

2005 não vai ter listinha de melhores e piores do ano porque eu passei os últimos 12 meses ocupado demais tentando entender o que estava acontecendo com a minha vida que resolveu mudar sem me consultar antes. li pouco, vi poucos filmes, escutei poucas músicas novas. mas fui bastante no horóscopo do Terra, confesso. acho que quando a vida desanda sem aviso prévio, a gente se agarra em qualquer tábua pra não afundar nem ser levado pelo Tsunami da instabilidade emocional.

mais de uma vez, durante esse ano, consultei o horóscopo chinês do Terra, porque ele dizia que 2005 era o último ano do meu inferno astral de 12 anos. isso quer dizer que 2006 tem tudo pra ser mais leve e fácil que 2005. oxalá seja verdade e welcome, 2006*.

* esse é o slogan da segunda parte da campanha da Gang pra marcar o início do novo ano. eu não poderia concordar mais.
quinta - 22 de dezembro, 23h05min




o Bob Esponja se matou no meu banheiro.


quarta - 21 de dezembro, 12h30min


baixando todo o Discovery do Daft Punk. onde eu estava com a cabeça que não prestava atenção em Daft Punk?
terça - 20 de dezembro, 12h55min


Texto? Pra que?


segunda - 19 de dezembro, 21h21min




saca aquele caixote cinza lá no fundo, ligado na tomada por um fio preto. é o picotador de papel, meu brinquedo preferido no serviço. claro, depois dessa Lexmark 912 bonita, na minha frente.

hoje eu entrei de recesso e volto só dia 9 de janeiro. vinte dias longe dessas duas belezas, aí. vai dá saudade.
segunda - 19 de dezembro, 21h15min


uma semana pra começar a temporada off-Porto Alegre mais afu da minha vida. promete.
segunda - 19 de dezembro, 18h05min


Ground control to Major Tom

em 2004, eu fiz um clipe pra Space Oddity, do David Bowie, com imagens do programa espacial norte-americano dos anos 60 e 70, mas só agora eu consegui hospedar num servidor decente e gratuito pra visualização pública. tá aqui, ó. se demorar pra carregar, a culpa não é minha.
domingo - 18 de dezembro, 19h47min


a moda agora é trocar de cara.
sexta - 16 de dezembro, 11h50min


Você também?

é isso, povo. U2 no Brasil - leia-se São Paulo - dias 20 e 21 de febrero. quem vai comigo?
sexta - 16 de dezembro, 11h42min


link novo aí do lado. só pra chatear, do marcos lentino mersjiguibói.
sexta - 16 de dezembro, 11h38min


"No ano passado, uma boa idéia mudou temporariamente a paisagem de alguns pontos da cidade. O artista plástico e publicitário chileno Waldo Bravo, de 45 anos, colou em dez outdoors de 3 x 9 metros uma fotografia que reproduzia exatamente a visão que o pedestre teria caso não houvesse aquele cartaz."

aqui tem mais - e com fotos. vale a pena.
quinta - 15 de dezembro, 23h


Estranhezas fora da rotina que me fazem sorrir

chegando no serviço, ouvi Erasure tocando muito alto no CTG aqui em frente.
quinta - 15 de dezembro, 13h


Fé demais não cheira bem

melina: hoje a minha astróloga me ligou. eu disse que não aconteceu nada do que ela previu. tirando as coisa ruim, claro.
eu: e o que ela disse?
melina: me deu uns floral, que é pra dar esperança, fé. é só o que me faltava - floral. piça!

quarta - 14 de dezembro, 23h30min


"fuçando nas correspondências, descobri que meu vizinho de frente se chama dostoievski.
quero um autógrafo".

by dani moire.
quarta - 14 de dezembro, 18h48min


Clichezão do cinema n° 3*
a insistência da sinopse do Supercine

- mulher, jovem, bonita, profissional dedicada e casada com um coroa meia-bomba se vê às voltas com um amante do passado que até então era dado como morto. o dito cujo volta determinado a acabar com sua vida. tem uma cena de perseguição de carro, outra de assassinato com arma branca e uma terceira de sexo à força, em que ela finje não querer, mas, na real, tá super a fim. a sinopse do Supercine anuncia sempre do mesmo jeito: "uma mulher atormentada pelo seu passado" e por aí vai.

sugestões de mulheres: alguma desconhecida de telefilmes americanos.

*post sugerido pela cacá, em algum comentário abaixo.
segunda - 12 de dezembro, 17h55min


Não sabe brincar, Joselito?

pensei numa versão pós 11 de setembro daquele jogo da batata quente. ao invés de uma bola de vôlei, uma esfera de ferro superaquecida. as crianças jogariam uma pra outra sem usarem luvas térmicas. quem ficar com cheiro de carne queimada primeiro, sai do jogo.
segunda - 12 de dezembro, 15h46min


são filmes como esse aqui que me fazem pensar que que ainda não é a hora de largar Hollywood de mão.
segunda - 12 de dezembro, 14h50min


Ka-boom!

o Henri Castelli se casou com uma baranga que usou nada além de uma camisola meia-boca, na cerimônia.

meu mundo caiu.
segunda - 12 de dezembro, 11h33min


eu sonhei que os EUA invadiram o Brasil. os motivos, não me lembro. mas me lembro que eu não lutei contra. pensei "ah, deve ser bom pro Brasil ter os americanos por aqui. deixa eles."

acho que no sonho, eu tinha virado o Diogo Mainardi. vai saber.
sábado - 10 de dezembro, 13h20min


Clichezão do cinema n° 2
uma história que passa pelo ctrl+c - ctrl+v no teclado dos roteiristas americanos

- mulher, jovem, bonita, profissional dedicada e monossilábica começa do nada a ter visões de uma menina morta. muitos efeitos especiais manjados. a falecida começa a dar sinais pra prender seus assassinos. a polícia acha que a médium em questão é louca. no final, os criminosos morrem e a mulher quita a dívida com seus deveres espirituais.

sugestões de mulheres: Ashley Judd, Michelle Pfeifer, Halle Berry ou Naomi Watts.
sexta - 9 de dezembro, 11h55min


Clichezão do cinema n° 1
uma cena batida que, de tão repetitiva, já se tornou óbvia e previsível

- policial persegue criminoso a pé pela rua cheia de pedestres. eles dobram a esquina e - pimba - se vêem no meio de um passeata, desfile comunitário, carnaval de New Orleans ou festa popular. ali, policial perde criminoso de vista.

sugestões de policiais: Tommy Lee Jones, Ashley Judd, Angelina Jolie, Denzel Washington ou Morgan Freeman.
sexta - 9 de dezembro, 11h46min


tem dois contos meus na nova edição do Bestiário.

mas o meu sonho mesmo é conseguir cantar Got To Be There no mesmo tom que o então pequeno e preto Michael Jackson. hei de conseguir.

hoje, fui ver "Em seu lugar" - aquele com a Cameron Diaz e a Toni Collette. indiferente.
quinta - 8 de dezembro, 20h26min


No papel

há três semanas eu tô trabalhando num material impresso pra distribuir para algumas revistas quando eu estiver em SP, no final do mês. terá cerca de 23 páginas, dividido em três capítulos, com alguns textos meus. dá uma conferida nesses dois modelos, aqui e aqui.
quarta - 7 de dezembro, 00h24min


a gente tem muito a aprender com os americanos, quando o negócio é propaganda.
domingo - 4 de dezembro, 18h46min


"Primeiro a Internet (e depois também)" tá na capa do Pessoas do Século Passado. e tem mais alguns textos meus espalhados pelas editorias da nova edição do site. segundo o Dodô, "o Vitor Diel caiu de amores pelo site e anda mandando bons textos a doidado". pudera. o PdSP é o melhor site de publicação de novatos da web brasileira. passa lá.
sexta - 2 de dezembro, 15h15min



praticamente
eu no corel.


instigar
enfim, sei lá
caco belmonte
repolhópolis
passeio noturno
la vie jetable
barbara,
heliodora & cordelie

groundhog day
pipoca com sal
caderno de vidro
só pra chatear

vitor.diel@gmail.com

arquivo 25
arquivo 24
arquivo 23
arquivo 22
arquivo 21
arquivo 20
arquivo 19
arquivo 18
arquivo 17
arquivo 16
arquivo 15
arquivo 14
arquivo 13
arquivo 12
arquivo 11
arquivo 10
arquivo 09
arquivo 08
arquivo 07
arquivo 06
arquivo 05
arquivo 04
arquivo 03
arquivo 02
arquivo 01