O in e o out, segundo eu mesmo

porque eu sei que quero e acho que posso.

in
- camisas;
- anos 90 (tá, foi um saco, mas chegou a sua vez, né);
- Batimã Feira da Fruta;
- Asics;
- o pastiche enquanto referência pós-moderna (vide Massacration);
- Desperate Housewives (sempre);
- America´s Next Top Model (ô, quanto mico).

out
- Gael Garcia Bernal (já cansou);
- Avril Lavigne na Harper´s Bazaar (não convence);
- ter 23;
- electro;
- Britney Spears, Kevin Federline e aquela criança;
- o retorno de Friends e a dificuldade humana em reconhecer que nada é perene;
- Fórum Social Mundial (a esquerda ainda insiste?).
terça - 24 de janeiro, 15h58min


artigo novo. fazia tempo, né?

As hienas tropicais

Quando a tragédia é grande demais, a gente só pode rir. E foi essa a minha reação ao ler uma nota no portal de notícias Último Segundo: "Brasil levará 304 anos para ter igualdade de país rico, diz estudo" - é o título do texto. Segundo o portal, a constatação é de uma insituição independente britânica, chamada New Economics Foundations. O instituto garante ainda que o processo de igualização social vai demorar 304 anos nas terras tupiniquins devido ao nosso ritmo de crescimento e distribuição de renda. Risos.

Me levantei, fui pegar café e me lembrei de uma entrevista do Walter Salles, quando do lançamento de Central do Brasil. Não me lembro onde assisti, mas sei que nunca vou esquecer de uma específica fala do diretor: "a gente passa a vida inteira ouvindo que o Brasil é o país do futuro, mas cadê esse futuro que nunca chega?". Calma, Salles. Eu sei a resposta. O futuro chega em 304 anos. E enquanto ele não chega, a gente só pode rir, com notícias como essa.

Eu não sei porquê nós, brasileiros, temos esse estúpido vício de estar sempre rindo. Rimos de felizes ou de irônicos? Será que no fundo, bem lá no fundo, somos mais irônicos que os britânicos? Ou mais felizes que os americanos? Sem dúvida, não somos tão socialmente iguais quanto qualquer um desses povos. Então, o que nos mantém nessa inércia de músculos faciais contraídos e dentes expostos?

Já ouvi muitas teorias a respeito da alegria brasileira, do brazilian way of life. Uma mais triste que a outra. Rimos porque temos fé que o amanhã será melhor, rimos porque sabemos privilegiar o contato humano, rimos porque o clima é bom e até porque somos um povo pacífico que não delcara guerra a ninguém. Eu acho que, assim como a minha risada lacônica diante da pavorosa notícia da distância do fim do nosso status quo, nós rimos por desespero. Rimos porque, na verdade, não acreditamos no futuro. O Brasil não é o país do futuro, é o pais do presente. Nós temos até uma festa anual mundialmente conhecida, onde todo mundo passa sambando por uma avenida, carregado de penas e plumas, dando risada, celebrando o agora. O Carnaval é a síntese do desespero brasileiro.

Ri-se tanto no Brasil não porque somos um povo abençoado por Deus. Rimos pelo desespero da triste constatação diária que o buraco pode ser mais fundo, sim. E nem falo de mensalões e CPIs, mas do convívio diário no trabalho, no trânsito, na rua, nas universidades. O Brasil é a terra das hienas tropicais que riem da própria desgraça.

Eu não sei mesmo se em 304 anos vamos sair dessa lama toda e assumir uma posição digna de um país desenvolvido. Não sei, acho que eu não acredito muito no Brasil. Como um certo francês disse certa vez, o Brasil não é um país sério. Concordo e completo - o Brasil não é um país sério porque não assume as devidas responsabilidades consigo mesmo. Porque não há nada mais irresponsável que risadas lacônicas diante de notícias escabrosas. Mas o que a gente faz, quando não acredita no futuro do próprio País? Eu, rio. Rio e deixo para os meus tataranetos descobrirem se em 304 anos, nós paramos de rir e resolvemos botar a mão na massa. Eu espero que sim. Porque se o Brasil dependesse de gente como eu, o Carnaval durava o ano inteiro.
segunda - 23 de janeiro, 16h05min


Onírico


domingo - 22 de janeiro, 20h07min


Nada sarcástico



eu e a menina que não curte sarcasmo


domingo - 22 de janeiro, 20h02min


"Essa juventude está muito mudada"

minha sobrinha de quatro anos passou a tarde aqui, hoje. como é muito comum, fui fumar na sacada e ela veio atrás. tapando o nariz, me disse:

- eu não posso ficar perto de cigarro.
- tem alergia?
- tenho.
- eu também - brinquei, enquanto soltava a fumaça pela boca. - isso se chama sarcasmo, viu?
- o que?
- isso. fazer piada com coisa séria.
- eu não faço isso.
- claro que não. tu é gente boa.
domingo - 22 de janeiro, 19h37min


Viagem para a Disneylândia

eu sonhei que eu fui jantar com o Mickey Mouse, numa espécie de encontro às escuras. ele se movia como nos anos 40, digo, a animação era meio parada e preto e branco. eu me lembro de ver suor saindo de seu rosto, enquanto ele não parava de olhar para os lados. ele me disse "desculpe o nervosismo, mas é que eu fico pensando que se a Minnie nos pega nessa...". eu apenas sacudi a cabeça e pensei "esse Mickey é um filho da puta".

é que eu vi Trainspotting antes de dormir.
quinta - 19 de janeiro, 12h


a gente não beija na novela das oito, mas manda bem no Globo de Ouro.
terça - 17 de janeiro, 16h22min


que bonito, mister left wing. que bonito.
segunda - 16 de janeiro, 20h37min


Mais um meme roubado da dani

respondam nos comentários, ok?

Fill this out...
1. Name:
2. Date of birth:
3. Where you live:
4. What makes you happy:
5. Currently listening/the last thing you listened to:
6. Do you read my journal?:
7. If yes, what makes it especially good or bad?:
8. An interesting fact about you:
9. Are you in love/do you have a crush at the moment?:
10. Favourite place to spend time:
11. Favourite lyric:
12. The best time of the year:

RECOMMEND
1. A film:
2. A book:
3. A band, a song, or album:

PLUS
1. One thing you like about me:
2. Two things you like about yourself:
3. Look at my friends-list and tell what you like about one of our mutual friends:
4. Put this in your journal so that I can tell you what I like about you.
segunda - 16 de janeiro, 20h21min


Alice no país das bizarrices

a imagem acima é divulgação não-oficial da adaptação para a tela grande de Alice no país das maravilhas, de Lewis Carroll. o longa Living Neon Dreams tá em fase de produção e é dirigido pelo estreante Jeremy Tarr. no elenco, Daryl Hannah, Jonathan Pryce e Nia Vardalos, além de Marilyn Manson, no papel da Rainha de Copas - no canto superior direito da foto. o filme ainda não tem estréia prevista nos EUA.
sábado - 14 de janeiro, 16h25min


O-H M-Y G-O-D!

depois de depilação anal masculina televisionada, essa é a segunda coisa que mais me choca, essa semana.
terça - 10 de janeiro, 23h13min


Mais de Sampa



na sacada, antes da virada.




braile côncavo e japonês




cara de paisagem - cara de paisagem - cara de louco




cara de paisagem na muito famosa bicicleta de dez lugares do Ibirapuera




"e ganhe um real de desconto na entrada do mam"


sábado - 7 de janeiro, 12h01min


"São Paulo teve 60% da chuva prevista para janeiro em quatro dias"

é, eu sei. volto pra porto com uma sacola de roupa úmida.

mais aqui.
quinta - 5 de janeiro, 01h08min


Rockstars in São Paulo

gene simons

david bowie
quarta - 4 de janeiro, 00h20min



praticamente
eu no corel.


instigar
enfim, sei lá
repolhópolis
passeio noturno
la vie jetable
groundhog day
pipoca com sal
caderno de vidro
só pra chatear
perturbação

vitor.diel@gmail.com

arquivo 26
arquivo 25
arquivo 24
arquivo 23
arquivo 22
arquivo 21
arquivo 20
arquivo 19
arquivo 18
arquivo 17
arquivo 16
arquivo 15
arquivo 14
arquivo 13
arquivo 12
arquivo 11
arquivo 10
arquivo 09
arquivo 08
arquivo 07
arquivo 06
arquivo 05
arquivo 04
arquivo 03
arquivo 02
arquivo 01