eu sonhei que alguém jogou um avião contra o prédio que eu trabalhava (sem comentários) e tudo começou a pegar fogo. tivemos que descer as escadas e ir para o estacionamento esperar o socorro. no último lance de escada, tinha uma mina gorda com cara de bugre se tossindo toda com a fumaça, encostada no corrimão. eu abracei ela e a trouxe pra junto de todo mundo, onde ela encontrou sua mãe, uma véia gorda com cara de bugre. quando nos viu, a véia disse:

- mas onde é que tu andava, guria?! me deixou preocupada!
- eu não consegui escapar da fumaça! não consegui correr!
- ah, vai dizer agora que é porque é gorda! sempre a mesma história!
- é claro que é porque eu sou gorda! eu nem dei, ainda! do livro do sexo, eu não li nem a primeira página! eu nunca vi um pau na vida!
eu, ruborizado, falei:
- eu não acredito que vocês estão falando de pau no meio de um incêndio!

"do livro do sexo, eu não li nem a primeira página". muito boa, né?
sexta - 24 de fevereiro, 13h28min


link novo aí do lado. é o Grave - um blog de música que interessa.
quinta - 23 de fevereiro, 14h


Katiuce is in the house

opinião do povo no fórum do Terra sobre o selinho que a famigerada Katiuce lascou no Bono Vox, durante o show de ontem:

- ESSA É SORTUDA MESMO HEIMMM.
- parabens
- Joga na Sena
- Deu mole
- Despeitada
- Putz, que baranga!!!
- É Katilce, não Katiuce

mais aqui.
terça - 21 de fevereiro, 13h14min


e o U2, hein? hein?! morri.

acordei hoje todo ativista, querendo me engajar em causas sociais e comprar um telão, um palco e uma banda. o quepe eu já tenho, né.
terça - 21 de fevereiro, 11h58min


pelamordedeus, que o som do show do U2 seja melhor que o dos Stones - o qual eu perdi o início, de ratão que sou.
segunda - 20 de fevereiro, 13h27min


"As hienas tropicais" tá na capa do Pessoas do século passado, enquanto que "Cultura da inverdade" tá na editoria de Sexodrogasroquenrol.
sexta - 17 de fevereiro, 13h22min


"Políticos em busca das cores do arco-íris
Governo e candidatos estão de olho nas paradas gays que reúnem milhares de pessoas"
.

do JB online, aqui.
quinta - 16 de fevereiro, 14h34min


"Os bonecos de plástico são inspirados nos personagens principais do longa-metragem - Jack Twist e Ennis Del Mar, interpretados respectivamente por Jake Gyllenhaal e Heath Ledger. Eles são maleáveis e acompanham dois cavalos, um cachorro, tenda, lanterna, bebida alcóolica, árvore, fogueira e lata de feijão."

adorei. mais aqui.
terça - 14 de fevereiro, 15h


corrente do livro

1. Pegue o livro mais próximo de você;
2. Abra o livro na página 23;
3. Ache a quinta frase;
4. Poste o texto em seu blog junto com estas instruções.

"(...)burning; on fire: The whole building was soon aflame."
Oxford - Advanced Learner´s Dictionary
segunda - 13 de fevereiro, 20h07min


eu compus uma música.

Garota chocolate - por Vitor Diel

garota bronzeada o suíngue na areia
rebola bola bola esse canto de sereia
vem aqui comigo deitar na minha esteira
remexe mexe mexe esse popô de maloqueira

sample balão mágico:
"sou feliz por isso estou aqui também quero viajar nesse balão"

refrão:
garota queimadinha marronzinha chocolate
o sorriso chega lento e quando vem é uma arrebate
tira essa tanguinha e deita aqui comigo
quero ser seu papai, seu namorado e seu amigo

solo

repete sample

repete refrão 2X
segunda - 13 de fevereiro, 16h07min


não é artigo meu, mas bem que eu gostaria que fosse.

A era do neocinismo

Alfredo Ruy Barbosa
Advogado e cronista

A hipocrisia humana já foi objeto de estudos sociológicos e até psicológicos que descrevem as formas de sua utilização, em cada época, pelos donos do poder. No campo político, Lord Acton, um historiador inglês do século 19, resumiu essa realidade num de seus notáveis pensamentos: ''O poder corrompe; e o poder absoluto corrompe absolutamente''. São inúmeros os exemplos históricos que comprovam o acerto do pensamento de Lord Acton.

No cenário internacional, assistimos atualmente a um embate entre o Irã e os governos militaristas para impedir que aquele país venha a desenvolver o seu programa nuclear, mesmo para fins pacíficos. Nesse caso, desponta com clareza o cinismo de um país que não hesitou em jogar duas bombas atômicas sobre alvos comprovadamente civis, matando milhares de inocentes. E esse país é o mesmo que, nos últimos anos, invadiu territórios na América Central, na Ásia e, agora, o do Iraque apenas para defender os interesses da sua indústria. O professor Noam Chomsky assim descreve esse cinismo: ''Quando atacamos outros países é para implantar a democracia; mas, quando nos atacam, isso é um ato de terrorismo''. Vale lembrar, também, a denúncia feita, nos anos 70, pelo escritor americano Fred Cook, em seu livro O Estado militarista - um estudo hoje estranhamente relegado ao esquecimento. Com base em dados confidenciais a que teve acesso, o autor revelou a existência de um ''acordo de gaveta'' entre os donos do poder, em Washington, e a indústria armamentista, segundo o qual, em troca de apoio financeiro nas campanhas eleitorais, o governo do país provocaria uma guerra, a cada dez anos, para beneficiar essa indústria. Coincidência ou não, os fatos posteriores parecem comprovar essa denúncia.

Na área econômica, a hipocrisia transformou o liberalismo do século 19 no atual neocinismo da abertura dos mercados, que recebeu o nome de neoliberalismo. Mas, na prática, essa nova política dos países ricos é assim traduzida: ''Abram os seus mercados, mas deixem os nossos em paz''.

Por aqui, os exemplos do cinismo político são, igualmente, chocantes. A educação jamais foi um programa prioritário de qualquer governo porque a triste ignorância que ainda domina a maior parte do nosso povo ajuda a manter as pessoas sem instrução totalmente distantes da realidade dos fatos. É nessa parcela da população que o presidente Lula está jogando todas as suas fichas para continuar desfrutando as mordomias do poder. E ele certamente dirá a essas pessoas que a auto-suficiência do país no setor de petróleo é mais uma ''vitória'' do seu governo, passando a falsa impressão de que todos os esforços da Petrobras ocorreram durante a sua gestão. Só falta agora o presidente vir ao Rio para inaugurar o Corcovado.

No Judiciário, o exemplo mais gritante de cinismo vem de alguns ministros do STF e do STJ, que, movidos pela ambição política, confundem a toga com o Togo - um pobre país africano que é dominado pelo mesmo grupo político, desde 1967, com o apoio do Judiciário local. Ambos os lados são ''mui amigos''. É incrível, não?

Uma verdadeira revolução só ocorrerá neste país no dia em que for aqui implantado um sistema educacional que ajude as pessoas humildes a atingirem um padrão real de qualidade de vida e de discernimento político. Mas que governo fará essa revolução num país que possui muitos políticos, mas nenhum estadista?

Enfim, como disse Cícero, numa das suas Catilinárias, até quando abusarão da nossa paciência?

in Jornal do Brasil, 11 de fevereiro de 2006.
segunda - 13 de fevereiro, 14h22min


Top 10

os artistas mais tocados no meu winamp, segundo o last.fm, na última semana.

1 Madonna
2 Marilyn Manson
3 Michael Nyman (trilha do Gattaca, né)
4 David Bowie
5 Garbage
6 Black Eyed Peas (sem perguntas, por favor)
6 Gary Numan ("here in my car", tá ligado?)
8 Bush (revival ´90s)
8 Daft Punk
10 Stereoplasticos (tá bom ou quer mais?)
domingo - 12 de fevereiro, 15h


Brokeback Mountain

acabei de ver Brokeback Mountain com a cacá. só me soltei mesmo pra chorar à vontade quando vi que que a cacá já tinha começado há horas. nunca chorei tanto no cinema.

esqueçam tudo que eu já falei sobre amor. eu achava que eu sabia, mas não tinha nem idéia. na real, vou demorar alguns bons dias pra voltar à realidade, depois desse filme. mas uma coisa eu aprendi: amor é instinto e calá-lo só dá merda.
sábado - 11 de fevereiro, 23h07min


artigo novo.

Cultura da inverdade

O programa da Oprah Winfey é um dos grandes sucessos da televisão norte-americana. Há mais de 20 anos, Oprah apresenta todas as banalidades que estão em moda na cultura-americana, desde astros de Hollywood que confidenciam seus segredos pessoais a figuras desconhecidas que relatam seus dramas vividos e são elevados à categoria de exemplos a serem seguidos. Essa condição fez de Oprah uma das maiores formadoras de opinião daquele país. Tudo o que ela fala é considerado a palavra final em qualquer assunto. A palavra de Oprah é a palavra de Deus. Porém, recentemente, Oprah foi enganada.

Em meados de 2003, o autor norte-americano James Frey lançou seu livro de memórias, intitulado "A Million Little Pieces". A história é um relato de um período na vida de Frey em que ele se viu às voltas com o vício em drogas e álcool, passagens pela cadeia e incontáveis dramas pessoais. E segundo a apresentadora, "A Million Little Pieces" é uma inspiração para todos os adictos que querem se livrar de seus vícios e um exemplo da premissa de que lutar pela própria sobrevivência sempre vale a pena.

Já em janeiro de 2006, depois do aval da Grande Mãe Oprah, a obra virou bestseller. Mal sabia ela que as memórias de Frey não eram exatamente memórias.

O website The Smoking Gun, depois de muito investigar, concluiu que diversos fatos narrados na obra de Frey, divulgada como memórias pessoais do autor, são inverdades ou exageros propositais. Isso fez com que Oprah tivesse pisado na bola ao considerar o relato literário de Frey um exemplo de superação pessoal. Oprah foi enganda. E com ela, todos os leitores de "A Million Little Pieces", incluindo a crítica literária e a editora da obra. Oprah e seu público podem não saber, mas, às vezes, a realidade precisa de uma ajuda da ficção para parecer mais dramática e, naturalmente, chamar a atenção e vender mais. JT Leroy é outro que também sempre soube disso.

Em fevereiro, chega às telas do Brasil o filme Maldito Coração. Dirigido pela italiana Asia Argento, a história é uma adaptação do romance "The Heart is Deceitful Above All Things" – ainda sem tradução para o português. O livro foi escrito por JT Leroy, um jovem autor americano, adorado por rockeiros como Billy Corgan e Shirley Manson. "The Heart..." é baseado nas memórias de infância de Leroy, especialmente no período em que foi obrigado pela própria mãe a travestir-se e prosituir-se nas estradas americanas. Dentre seus relatos, estão dramas envolvendo abuso de drogas e a sua suposta infecção por AIDS. Eu disse suposta, porque recentemente o jornal The New York Times descobriu que JT Leroy, na verdade, nunca existiu.

Cunhado por Laura Albert, uma mercenária qualquer que sacou que história triste vende bem, Leroy comparecia a sessões de autógrafos e eventos literários. Uma figura soturna e andrógina, escondida embaixo de longos cabelos loiros e grandes óculos escuros. Hoje já se sabe que os cabelos eram peruca e os óculos mascaravam os olhos da jovem Savannah Knoop – álibi de Laura na ficção intitulada JT Leroy. Mídia, público e crítica literária – enganados mais uma vez. Ninguém questionava que aquele que autografava como JT Leroy na verdade fosse uma farsa. E, também, por que questionar? Em janeiro desse ano, o artista plástico Yuri Firmeza mostrou que sabe a resposta.

A fim de questionar o conhecimento que os jornalistas de arte e cultura têm de sua área, Firmeza, com a conivência do Museu de Arte Contemporânea do Ceará, propôs a divulgação na mídia da exposição de um conceituado artista japonês, chamado Souzousareta Geijutsuka. Forjou material de divulgação, assessoria de imprensa – gerida pela namorada do próprio artista – e entrevistas via e-mail com jornalistas de todo o Brasil. Com esse amplo esforço, conseguiu matérias de capa nos cadernos de cultura dos mais importantes jornais do Ceará e menções na imprensa nacional.

Tudo preparado, Yuri anuncia que Souzousareta Geijutsuka nunca existiu e que toda divulgação de sua suposta exposição no Museu de Arte Contemporânea do Ceará era, na verdade, um trote bem pensado. Com o que parece molecagem, Yuri conseguiu colocar em discussão o conhecimento que jornalistas da área de cultura têm de seu ofício. E, além disso, nos mostrou que tudo é verdade – até que provem o contrário.

Nós fazemos parte de uma cultura que é conivente com as inverdades. Nós sabemos que os famigerados reality shows são armações, que cantoras pop se valem de playback em apresentações ao vivo, que resultados de Copa do Mundo podem ser previamente definidos (França, 1998, lembra?) e que declarações de guerra são embasadas em relatórios escritos à luz de verdades distorcidas. Nós aceitamos o fato que sempre há um segundo interesse por trás das decisões tomadas e que geralmente é mascarado com alguma história triste – vide James Frey e JT Leroy – ou com o medo de uma ameaça terrorista iminente, no caso da invasão ao Iraque. Será que ainda existem verdades puras? Se Oprah Winfrey é enganada, o que sobra pra nós?

Esse ano tem eleição, no Brasil. Quer inverdade maior que os benefícios da sucessão de governos? Todo ano de eleição, nós cumprimos o nosso dever democrático e apertamos “confirma”, como se confirmássemos nossa crença na verdade de candidato A ou B. Mas atualmente, com tanta verdade aparecendo tarde demais, de que adianta escolher algo no que acreditar? Quando não somos enganados na cara-dura, nos silenciamos diante das inverdades. A nossa sorte é que sempre haverá uma Oprah Winfey e um Roberto Jefferson (Mensalão, 2005, lembra?) perto de um ventilador ligado.

Eu realmente não sei muito bem no que acreditar, ultimamente. Todas essas indagações, para mim, são apenas isso – indagações sem nesga de esclarecimento, expostas num texto. A bem da verdade, se eu tivesse essas respostas todas, estava rico. Era só inventar uma história triste de pano de fundo e vender como livro de memórias. Difícil seria aparecer na Oprah, porque eu imagino que ela esteja mais cautelosa, depois do incidente com James Frey.
sábado - 11 de fevereiro, 00h41min


Brincando com o Google

"No interior do município de Pirapó, no Cerro dos Amaros, o agricultor Vitor Diel vem desenvolvendo o cultivo de sementes crioulas de milho, nas variedades Caiano Amarelo (grande) e Caiano rajado (roxo), vindas de Canguçu."

mais, aqui. em pdf.
sexta - 10 de fevereiro, 14h55min


Feel Good Inc.



bem bacana a parceria entre Madonna e Gorillaz na abertura do Grammy 2006, ontem à noite. toda vez que eu vejo essa mulher, me lembro que ela é apenas um ano mais nova que minha mãe. e toda vez que eu vejo os Gorillaz, eu me lembro que eles não se parecem em nada com macacos. a propósito, a introdução de Hung Up, só no violão, ficou bem fofinha.


quinta - 9 de fevereiro, 15h40min


Lembrem-se:

depois não digam que eu não avisei.
domingo - 5 de fevereiro, 14h55min


Por onde anda?



El Niño

com Tsunami, Katrina, Hamas ganhando as eleições palestinas e outras catástrofes do gênero, as notícias sobre o EL Niño não andam despontando, ultimamente. no final de década de 90, O Menino fez, aconteceu e deixou todo mundo cagado. parece que ele tirou umas férias - permanentes, eu espero. e que continue assim, bem quietinho, sem fazer birra. essas crianças de hoje em dia estão muito mimadas.
sábado - 4 de fevereiro, 23h14min


é ficção, mas bem que podia ser verdade

Tec Toy lança linha de bonecos inspirados na juventude contemporânea

a fabricante de brinquedos eletrônicos Tec Toy lançou, recentemente, uma coleção de bonecos inpirados na juventude de classe média brasileira. são cinco modelos, com idades entre 19 e 27 anos, com um botão nas costas que, ao ser pressionado, faz o boneco falar as típicas interjeições da faixa etária indicada. os bonecos vêm trajados conforme suas idades e prometem ser a sensação de 2006 para a indústria de brinquedos brasileira. confira abaixo as falas de cada modelo a ser comercializado em breve no País.

- boneco de 19 anos: "vocês são péssimos pais! eu não sei o que prestar no vestibular! meu amigo jonas me ensinou a fechar um baseado!"

- 21 anos: "vocês são péssimos pais! meus pais inibem a minha criatividade! há três dias que eu não apareço em casa! eu odeio os meus pais!"

- 23 anos: "vocês são péssimos pais! eu não sei qual é o meu lugar no mundo! eu tenho medo do futuro! eu tenho medo do mercado de trabalho! eu voto nulo!"

- 25 anos: "vocês são péssimos pais! eu me formei e estou desempregado! concurso público é uma opção válida!"

- 27 anos(*): "papai, você seria meu fiador? eu preciso sair de casa! prostitutas fazem a minha cabeça! papai, você vai ser vovô! eu continuo desempregado!"

(*) - acompanha namorada.

o fabricante lembra que nenhum modelo vem acompanhado de pilhas.
sexta - 3 de fevereiro, 00h24min


eu conto pra mel que sonhei que era um charuto. ela me analisa:

- como tu te sentiria, se fosse um charuto?
- mas charuto não sente nada...
- tá, mas como tu te sentiria? - ela insiste. penso, penso, penso.
- triste, porque tenho tempo de vida útil muito curto. sufocado porque, né, vou queimar. e angustiado porque eu teria consciência de tudo isso.
- e por que tu tá te sentindo triste, sufocado e angustiado?
- ai.
- ai, vamo parar. que pira.

um charuto é apenas um charuto. pelo menos até segunda ordem.
quinta - 2 de fevereiro, 15h55min


há três coisas que me fazem feliz:

1) quando o elevador do serviço chega vazio e eu posso fazer vocais pop na frente do espelho, até o oitavo andar;

2) os dois quilos que eu ganhei, nos últimos dias;

3) webcards.
terça - 31 de janeiro, 10h59min



praticamente
eu no corel.


instigar
enfim, sei lá
repolhópolis
passeio noturno
la vie jetable
groundhog day
pipoca com sal
caderno de vidro
só pra chatear
perturbação
macho pero no mucho
grave

vitor.diel@gmail.com

arquivo 27
arquivo 26
arquivo 25
arquivo 24
arquivo 23
arquivo 22
arquivo 21
arquivo 20
arquivo 19
arquivo 18
arquivo 17
arquivo 16
arquivo 15
arquivo 14
arquivo 13
arquivo 12
arquivo 11
arquivo 10
arquivo 09
arquivo 08
arquivo 07
arquivo 06
arquivo 05
arquivo 04
arquivo 03
arquivo 02
arquivo 01